poker-cards-photography-16622

Desembaralhando as cartas…

Olá amigos!

Você já jogou cartas? Não? Eu pessoalmente não curto nenhum jogo, mas acho muito curioso a disposição das cartas, as mecânicas dos jogos e principalmente a arte milenar de embaralhar as cartas. Quando você vê uma pessoa cortando um deck ao meio e mesclando as cartas com habilidade fantástica, faz parecer tudo muito fácil. Mas não é. Porém, mais difícil do que embaralhar as cartas, é organizá-las. Isso requer tempo e paciência. Muita paciência.

Agora, você amigo escritor, com essa ânsia exacerbada por escrever mais e mais, com essa criatividade à flor da pele, esse monstro o qual você não consegue conter, deve estar se perguntando: O que isso tem haver comigo? Eu escrevo, não trabalho em Las Vegas!

Okay. Vamos conjecturar?

Troque a palavra Deck por “Seu Livro que vai vender mais que 50 tons de cinza o Código Da Vinci juntos” e a palavra cartas por Capítulos. Bom, acho que agora temos um problema que você se identifica!

Hoje em dia é mais difícil encontrar um livro onde o escritor conta uma história em que tudo acontece de forma cronológica, simples e pura, sem flashbacks, cortes e com a narração contínua. Bernard Cornwell faz isso nas Crônicas de Arthur e dá uma aula na descrição das lutas. Atualmente estou lendo “O Sobrevivente” do autor Chuck Palahniuk e imagino o trabalho que ele teve para organizar os capítulos, pois, apesar de o livro ser contado e planejado de trás para frente, a história contada é toda baseada em flashbacks em ordem não cronológica. Em cada capítulo ele avança e retrocede de forma habilidosa, nos envolvendo cada vez mais em uma das histórias mais malucas que já li.

Creio que o mais complicado de tudo seja quando se tem mais de um personagem. George Martin que o diga, já que seu núcleo tem infinitos personagens, com tramas e subtramas intermináveis. Organizar perspectivas de forma coerente e concisa é um desafio e tanto.

Não vou escrever uma lista com dicas, mas vou relatar o que tem acontecido comigo. Resolvi escrever meu livro com núcleos e capítulos onde 1 personagem diferente dá a perspectiva da situação. Não bastando, cada um deles está em um momento temporal diferente. Pode piorar? Sempre pode! Tudo isso vai convergir e se tornar uma linha do tempo única em algum momento. Complexo não? Muito! Ruim? Não acho. Vocês que vão me dizer! Rs

Observando o tamanho do problema que arranjei para mim mesmo, creio que o segredo para a organização dos capítulos não seja o final, ou seja, a organização em si, mas sim a concepção. Muitas vezes vamos escrevendo à esmo, sem o mínimo de planejamento e até zelo por nossas linhas escritas. O mínimo de organização é necessário para se organizar um capítulo. Meu caso, que talvez não seja o melhor exemplo, tenho 2 pilares fundamentais: “Onde estou?” e “Aonde quero chegar?”. O como, que deveria ser uma terceira pergunta, eu não sei totalmente. Gosto de escrever um pouco mais livre e meu processo criativo seguem assim.

Planeje sua história, pois quando cegar a hora da organização, tudo ficará mais fácil. Se preciso abra o Excel e monte a timeline de sua história. Se não te ajudar totalmente, atrapalhar não vai. Te garanto!

Você tem uma visão diferente sobre o assunto? Deixe seu comentário! Vamos conversar!

Escrever é 10% de inspiração e 90% de transpiração. Sempre se lembre disso.

Até a próxima!

“Sempre acredite em sua história. Se você acreditar, os leitores também acreditarão.” (Will Soares)

Contato: mr.willianrj@gmail.com

Facebook: Facebook.com/will.soares.75

1 comment for “Desembaralhando as cartas…

  1. 08/08/2015 at 13:24

    Adoro seus toques. Identifiquei-me muito neste também já que não consigo montar uma Time Line. até faço um tipo de diagrama de bloco no caderno para tentar não me perder nos contos da série. Estou tentando ser organizada, farei algumas fichas de personagens e farei um diagrama seguindo uma sequência com datas, momentos e lugares :o) Obgda por este espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *