The-end

E morreu…

Depois de uma semana agitada de ausência (vai, pode admitir que você estava com saudade! Não tem problema nisso…), estamos aqui para mais uma coluna Escrita Criativa! O assunto de hoje é um tormento SEM FIM para muitos escritores. Vamos lá?

Uma vez ouvi uma frase fantástica que diz o seguinte: “Não importa como você começa algo, mas sim como termina”. Eu concordo muito com essa frase. Cansei de ler livros onde o autor não termina o livro, ele simplesmente parava de escrever. Isso é um erro tão frequente que chega a me dar nervoso. Passamos tanto tempo quebrando a cabeça com Cliffhangers, em como prender o leitor, em como cativar e fazê-lo virar as páginas, que esquecemos que temos que concluir a obra.

Algo que você tem que ter em mente é que uma hora, por mais que você prenda o leitor por 300 páginas, você vai ter que soltá-lo. Isso é inexorável. A questão é: Você vai deixar seu leitor maravilhado ou frustrado por conta do final? Eu sei, seu sei. “Mas Will, isso é muito pessoal! Não tenho como agradar todo mundo!”. Não estou dizendo que não é pessoal, mas um final honesto, sem soluções preguiçosas de roteiro e que não o faça de idiota, é o mínimo que qualquer leitor espera.

Assumamos que não seremos geniais ou surpreendentes sempre, mas finais tem que ser coerentes. Corajosos ou não, mas coerentes. Isso é mais do que necessário. Uma dica boa que posso dar e que fiz quando escrevi meu livro é, separar a história em marcos e encaminhar a história para esses marcos. No final, eu planejei tudo, mas sem dar dica ao leitor de onde eu o levaria. Planeje o final e segure na mão do leitor, para conduzi-lo até a conclusão da história que você quer contar. Convergir sua história para o final uns 5 capítulos antes do fim, vai traçar na cabeça do leitor uma linha lógica para a triunfal conclusão da história.

Por ultimo, não tenha medo de fazer o que você acredita ou que ache necessário. Li um livro que o autor forçou a morte do personagem principal, em uma cena de ação que já havia acabado e ele pega o protagonista de forma súbita. Achei honesto ele dizer em uma nota que a história pedia isso, apesar de eu discordar. Apenas conclua da melhor forma possível e da forma como você, como leitor, gostaria que a história acabasse.

Escrever é 10% de inspiração e 90% de transpiração. Sempre se lembre disso.

Até a próxima!

“Sempre acredite em sua história. Se você acreditar, os leitores também acreditarão.” (Will Soares)

Contato: mr.willianrj@gmail.com

Facebook: Facebook.com/will.soares.75

6 comments for “E morreu…

  1. 18/09/2015 at 17:36

    Felizmente eu consegui escapar e cheguei inteiro Kamila!
    Continue nos acompanhando, pois toda sexta, às 21 horas tem nova postagem!
    Abraços!

  2. 18/09/2015 at 17:35

    Muito obrigado Michelle! Continue nos acompanhando, pois toda sexta, às 21 horas tem nova postagem!
    Abraços!

  3. 18/09/2015 at 17:34

    Você é muitíssimo bem-vinda aqui!!!
    Fique à vontade!
    Continue nos acompanhando, pois toda sexta, às 21 horas tem nova postagem!
    Abraços!

  4. 07/09/2015 at 15:01

    Obrigada, pela dica. Foi de mega ajuda pra mim. Vou falar para meus parentes tamb

  5. Michelle
    06/09/2015 at 01:47

    Fico admirada com a maneira que escreve,realmente tem livros com finais frustrantes,sem lógica alguma.
    De repente alguém segue sua dica, seria ótimo.
    Boa Noite.

  6. 05/09/2015 at 15:33

    Estava com saudades mesmo, e preocupada pensando que “eles”, do Human Being, tinham atacado o pessoal da coluna…rs! Valeu por compartilhar mais um texto ótimo, as dicas me ajudarão muito! Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *